O benefício da desilusão amorosa

Esse escritor está louco só pode.

Por que uma desilusão é boa, tá louco?

Bem vamos por partes, você já passou por aquela situação de guardar expectativas demais sobre uma pessoa que você está apaixonado e a realidade se mostrou totalmente diferente?

Tenho certeza que sim, todo mundo ja passou por isso, isso pode até soar estranho, mas as vezes a culpa é nossa.

Aliás, não devemos guardar expectativas.

Então, vou apresentar para você um dos filmes mais realista sobre relacionamentos dos cinemas!

500 dias com ela, Tom e Summer

Quem viu, viu, quem não viu, recomendo assistir 😉

“Esse filme não é uma história romântica” – introdução do filme

500 dias com ela retrata a vida de duas figuras opostas.

O filme começa quando a protagonista termina com o Tom, e ele desiludido começa a relembrar os 500 dias com ela (Summer) para entender o porquê.

O Tom é um homem que acredita no amor, destino e almas gemêas. Ou seja, um romântico.

E Summer é uma mulher que não acredita no amor, só quer curtir a juventude enquanto é tempo.

Na história, Tom conhece e se apaixona por Summer e rola um lance entre os dois, porém Summer deixa claro desde o começo que não quer nada sério.

Mas Tom começa a criar expectativas fantasiosas sobre a relação dos dois, e idealiza um romance que só existe em sua cabeça.

Como a história se passa na visão de Tommy, pode parecer que a garota estava errada, entretanto, era apenas uma ilusão que ele mesmo criou.

No final do filme, Summer acaba se casando com outra pessoa, e Tom acaba por desacreditar no romance.

Enfim… Um ótimo filme para refletir e desiludir.

“Não é porque uma garota bonita gosta das mesmas bizarrices que você que ela é sua alma gêmea” – irmã do Tom

Por fim, a desilusão significa voltar ao mundo real, é bom porque te tira de uma mentira e te mostra a verdade. Mesmo que sair de uma ilusão seja dolorido.

Concluindo, olha que coisa boa, você está mais próximo da verdade! XD

Escritor: Flavio Vibe

O preenchimento do vazio.

Algo no título desse texto incomoda você?

Alías, é bem provavel!

———- ———– ——— ———-

Certa vez estive em um encontro de uma igreja numa chácara. E como um bom questionador que sempre fui, resolvi perguntar para os fiéis a seguinte questão:

– Quando você não era da igreja, o que sentia?

– Um vazio – eles respondiam.

Parei pra refletir sobre isso e percebi que na sociedade em que vivemos, sempre estamos procurando formas de escapar do vazio que nos assombra desde os primórdios da humanidade.

Afinal desde que o ser humano tomou consciência de seus atos, ele começou a questionar:

* Qual é o sentido da vida?

* O que tem depois da morte?

* Será que temos um propósito?

Pois uma vida sem um propósito tremeria a base de qualquer ser humano.

Porque se a vida não faz sentido, muitas de suas crenças, valores e objetivos entram em colapso. Mesmo que você se sinta relativamente satisfeito com algumas escolhas.

Alías você irá se questionar:

O que estou fazendo da minha vida?

Rick and morty e o sentido da existência

Então muitas pessoas preferem abraçar o absurdo por mais irracional que seja, para conseguir suportar a vida medíocre que levam.

Concluo que, se a vida é um acaso a melhor coisa que podemos fazer é abraçar o vazio e viver intensamente.

Afinal, você já tentou abraçar o vazio hoje?

Escritor: Flavio jean

Compartilhe e comente 🙂

….